"Tu incitas [ao homem] para que sinta prazer em louvar-Te; Fizeste-nos para Ti, e inquieto está o nosso coração, enquanto não repousa em Ti." (Agostinho)

10 de julho de 2008

AS SAGRADAS LETRAS



“Ora, todos quantos querem viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos. Mas os homens perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados. Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste e que, desde a infância, sabes as sagradas letras, que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus.” - 2 Timóteo 3:12-15
Numa certa manhã, eu conversava com um amigo na varanda de minha casa sobre vários assuntos espirituais. O assunto ia se aprofundando cada vez mais como é comum acontecer entre os cristãos. Esse amigo, de uma igreja Cristã muito conhecida na cidade, começou a me relatar as suas diversas e extasiantes experiências místicas, algumas das quais eu mesmo presenciei. Ele me dizia como era indescritível estar cheio do Espírito, a incrível sensação de sentir o seu corpo como que levitando. Falou sobre o "sapatear no Espírito", o qual eu presenciei algumas vezes. O assunto se estendeu ao ponto de eu começar a questionar essas experiências que ele me relatava e as que eu presenciei em um "monte" quando todos oravam. Pessoas rodavam, algumas gritavam agudamente enquanto alguém impunha a mão sobre sua cabeça para, aparentemente, enchê-las mais do Espírito, outros se contorciam e alguns corriam de costas no meio do mato até caírem. Diante disso a minha palavra a esse amigo foi: "onde a Bíblia ensina isso ou ao menos relata algum exemplo de experiência igual a essas?" Ele me olhou e disse: "é porque você nunca experimentou!" Disse que eu estava questionando a ação do Espírito. Então a conversa foi sobre o que as Escrituras relatam e ensinam e o que a experiência humana determina. O tempo todo eu o indaguei sobre onde as Escrituras relatam experiências desse tipo. Onde nas Escrituras vemos pessoas se contorcendo sobre o poder do Espírito Santo? Onde nas Escrituras vemos um crente gritando aaahhhhH!!!, enquanto alguém ora para ele "se encher mais com o Espírito"? Em que lugar das Escrituras vemos pessoas correndo (mas correndo de costas) e se lançando ao chão? E as resposta dele e de muitos outros é sempre: "Você nunca experimentou, nunca viu como é bom!" E junto com essa resposta há sempre aquela clássica que já se tornou chavão: "a letra mata!". Ta aqui a resposta clássica para todo questionamento bíblico que fazemos a esse tipo de experiência e outras práticas que observamos no meio evangélico em nossos dias. Se algum irmão ou pastor questiona com base nas Escrituras alguma experiência boa para quem a experimenta, essa pessoa retruca: "a letra mata". Se algum irmão ou pastor ensina algo que realmente está nas Escrituras, mas que a pessoa discorda, não se agrada ou é contrario ao que ela foi ensinada a crer por anos, a resposta é a mesma: "a letra mata". Dessa forma, o texto do Apóstolo Paulo na sua segunda epistola aos Coríntios se tornou o protetor de muitas heresias, tradições e experiências humanas. É a arma com a qual se ataca qualquer um que questione ensinos e práticas sem real embasamento bíblico.

Paulo e a letra.
No entanto, quando fazemos uma leitura cuidadosa do texto respeitando o seu devido contexto, fica claro que essa aplicação descuidada está totalmente errada. Sem pretender dar um tratamento minucioso do texto, o fato é que Paulo, escrevendo inspirado por Deus, estava se referindo à lei de Deus dada a Moises por inspiração e escrita "com letra em pedras". Assim, Paulo, inspiradamente, chama a letra da lei de "ministério da morte" (2Co 3:7) e "ministério da condenação" (2Co 3:9), pois a "letra mata", ou seja, a LEI que foi escrita é incapaz de salvar o homem escravizado ao pecado, mas serve apenas para condená-lo, pois a lei exige a santidade e expõe os nossos pecados deixando o homem indesculpável diante da justiça perfeita de Deus. Isso fica mais claro ao lermos Romanos 2:12 que diz: "Assim, pois, todos os que pecaram sem lei também sem lei perecerão; e todos os que com lei pecaram mediante a lei serão julgados." Romanos 3:19, 20 completa: "Ora, sabemos que tudo que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado." Romanos 5:20 diz mais: "Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa". E Romanos 7:9-10: "Outrora, sem lei, eu vivia; mas, sobrevindo o preceito [da lei], reviveu o pecado, e eu morri. E o mandamento que me fora para a vida, verifiquei que este mesmo se me tornou para a morte".


Mas será que por causa disso a lei é abolida ou a lei é algo ruim? Muitos, apressadamente, dizem quem sim. Paulo diz, enfaticamente, que não em Romanos 3:31: "Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei." E mais: "Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei" (Romanos 7:7). E em Romanos 7:12: "Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom."
Diante do exposto, podemos perceber que Paulo chama a lei de letra que mata, pois ela é incapaz de salvar qualquer ser humano. A lei de Deus embora seja, segundo Paulo, ‘santa, justa e boa’, é impotente para salvar, mas suficiente para condenar a todos nós que pecamos. A lei santa de Deus, não salva, mas condena. Isso por causa da escravidão do homem ao pecado.

Era à Lei e sob essa perspectiva, que Paulo se referia quando escreveu “a letra mata”. No entanto, ele não a estava invalidando nem a desvalorizando, pelo contrário: “Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela se utiliza de modo legítimo” (1 Timóteo 1:8). Nem Paulo e nem mesmo Jesus anularam a lei, basta lermos Romanos 3:31 “Anulamos, pois, a lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a lei.” E Mateus 5:17 “Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.” Mesmo que a letra da lei julgue e condene o homem ela é a Santa Palavra de Deus.

Certa vez, assistia uma pregação gravada em VHS na casa de uma irmã. Essa irmã, em certo momento, falou animadamente sobre o que aprendeu com outra irmã ali presente. Ela lia as Escrituras, e era como se, de repente, as letras saíssem ou voassem, só então ela via coisas que não conseguia ver antes. Não me admiro nenhum pouco do fato de que hoje, aquela (uma ex-espírita) que ensinou isso para ela em uma igreja evangélica esteja agora no candomblé; e a outra tenha deixado a Igreja. Infelizmente essa é a forma de leitura que muitos praticam das Escrituras. As letras saem ante os seus olhos e no lugar fica todo o tipo de invenção e imaginação projetadas pelo próprio coração do “leitor”. Isso é assim, pois, para esses, a “letra mata”, a letra é inútil.

O Espírito e a Letra
Mas Paulo diz a Timóteo algo diferente. Ele diz que Timóteo sempre conheceu as Sagradas Letras que podiam torná-lo sábio para a salvação. Nesse texto, Paulo não se refere apenas à lei, mas a toda Escritura. E ele não diz que ela mata, mas que torna o homem sábio. Fazendo justiça ao contexto, fica claro que ele em 2 Coríntios e em 2 Timóteo não está se referindo à mesma coisa. Em Coríntios, ele está falando da LEI de Deus que é incapaz de dar ao homem salvação pelas obras; em Timóteo, ele está falando de TODA ESCRITURA que pode tornar-nos sábios para a salvação. O que ocorre no meio das igrejas é que muitas pessoas não aprenderam a ler as Escrituras respeitando o contexto (a regra mais básica de interpretação) e, assim, fazem interpretações forçadas ou superficiais das escrituras aplicando-as de forma errada e, muitas vezes, para desculpar seus erros e práticas.

Porém, de fato, toda Escritura é inspirada por Deus. Elas são as Sagradas Letras que o Espírito Santo nos deixou para sermos sábios. E, para que isso ocorra, precisamos da iluminação constante desse mesmo Espírito para que nossos olhos sejam desvendados para as maravilhas de sua Palavra (Sl 119:18). Afinal de contas, a letra sem o Espírito não comunica vida ao homem que já está morto em seus delitos e pecados (Ef 2:1,5; 2Co 3:14). Por isso a intima iluminação do Espírito é fundamental. Mas, ao invés de desprezarmos a letra, como muitos fazem, devemos, como disse Jesus, saber que cada “i” ou “til” (Mt 5:18; Lc 16:17) é a Palavra de Deus, Santa, Autoritativa, Infalível e que se cumpri indubitavelmente. Os mestres devem se dedicar à leitura e exposição das Escrituras para que a igreja receba dela sabedoria divina (1Tm 4:13). Essas letras são sagradas, foram inspiradas pelo Espírito Santo, por meio dela recebemos a nova vida, a regeneração do Espírito (ver Tg 1:18 e 1Pe 1:23). Diferente do que muitos ensinam, o Apóstolo diz que as Sagradas Letras (aplicadas pelo Espírito) são suficientes “fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (1Tm 3:16-17; ver Sl 19:7). Em 1 João 2:5, está escrito: “Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus.” As Sagradas Letras são suficientes para a vida plena do cristão cheio do Espírito. Ah! irmãos, se Timóteo vivia em tempos difíceis e, se as seguintes palavras eram verdades para ele, muito mais ainda em nosso tempo: “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Se a Igreja desconsidera ou abandona as Sagradas Letras para ir atrás de cada falso mestre e profeta que se levantar em nosso meio, falando o que o homem se agrada de ouvir e ensinando fábulas e ilusões de seus próprios corações, ela está traindo o Espírito Santo. Ao invés disso, devemos ouvir o Espírito Santo falando nas Escrituras e pelas Escrituras. Esse é o tema e propósito desse blog. As Sagradas Letras nos tornam sábios, pois nos conduzem a Cristo Jesus, o Verbo Eterno.

Ah!! que oração e confissão bela a do salmista no Salmos 119:96:
“Tenho visto que toda perfeição tem seu limite; mas o teu mandamento é ilimitado.”

5 comentários:

ronney disse...

gostei do blog tah bem feitinho e tem muita coisa interresante apesar de nao ter lido tudo...

A. G. Brito disse...

Olá, caro irmão

O que Paulo diz sobre "a letra mata" foi explicado muito bem por nada menos do que João Calvino.

Ele faz uma ligação de 2a. Cor. 3:3 com Hebreus 8:6-10 pois o que diz é parte exatamente de seu comentário sobre Hebreus. O problema da "letra que mata" é quando deixamos a letra sobre as frias tábuas de pedra. Mas a lei de Deus tem que estar inscritas é nos corações e mentes dos filhos de Deus.

Paulo disse que com a sua mente "sirvo à lei de Deus", que é aquela que traz o preceito "não cobiçarás", sendo santa, justa, boa e espiritual (Rom. 7:25, cf. vs. 7, 8, 12, 14, 22).

Bem, eis a citação de Calvino:

"Em vão então Deus proclama a Sua lei pela voz do homem, a menos que Ele a escreva por Seu Espírito em nossos corações, ou seja, a menos que nos forme e nos prepare para a obediência. . . .

A lei nos é ruinosa e fatal na medida em que permaneça escrita somente nas tábuas de pedra, como Paulo nos ensina (2 Coríntios 3:3).

Em suma, somente abraçamos os mandamentos de Deus obedientemente, quando por Seu Espírito Ele muda e corrige a depravação natural de nossos corações; doutra maneira ele nada encontra em nós a não ser afeições corruptas e um coração inteiramente entregue ao mal. A asserção é de fato clara, de que um novo concerto é estabelecido segundo o qual Deus grava as Suas leis em nossos corações, pois doutro modo seria em vão e de nenhum efeito”. – Calvino comentando Heb. 8:10”

*Fonte:

http://www.ccel.org/ccel/calvin/calcom44.xiv.ii.html

Anderson Abreu disse...

Calvino continua a ser um grande mestre para a Igreja moderna. Com certeza um gigante da fé! Realmente só podemos praticar a vontade revelada de Deus se "por Seu Espírito Ele muda e corrige a depravação natural de nossos corações", do contrário a Lei continua a nos acusar de grande transgressão contra a santidade de Deus e exige a nossa morte como punição. A Letra só tem efeito santificador na vida daqueles que têm o Seu Autor, o Espírito Santo, habitando e escrevendo Suas Palavras no coração do eleito.

Obrigado pelo edificante comentário meu irmão!

Graça e paz!

Pb. Fabiano disse...

Prezado Pb. Anderson,

Muito bem, parabéns pela iniciativa.

Blog bem caprichado.

Que sirva para a edificação de muitos.

Que Deus o abençoe.

Abraço.

Silas disse...

Parabéns meu amigo e irmão em Cristo. Continue assim. Deus te bençoe (Números 6.24-26)Abraços